segunda-feira , 16 janeiro 2017
5

Brasileiros pretendem sair do vermelho e juntar dinheiro em 2017, diz pesquisa

41% dos brasileiros não querem abrir mão de fazer uma reversa financeira
41% dos brasileiros não querem abrir mão de fazer uma reversa financeira

Após um ano de 2016 apertado, os brasileiros começam 2017 com um pouco de otimismo e a esperança de resolução dos problemas financeiros pessoais e da economia do País. Diante de um cenário melhor, as principais metas da população são juntar dinheiro (41,1%) e sair do vermelho, pagando todas as contas que estão vencidas (35,1%).

Os números foram revelados em uma pesquisa feita pelo SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) em parceria com a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas). De acordo com o estudo, 43,5% dos brasileiros estão otimistas com a economia e acreditam que este ano será melhor que 2016.

gifEm uma nota que vai de 1 a 10, onde 1 é muito ruim e 10 é muito bom, a expectativa para a economia brasileira para 2017 é de 5 e a da vida financeira pessoal é de 6.

Quase metade dos entrevistados (48%) disse estar animada para concretizar seus projetos pessoais em 2017, porém, 14,1% estão desanimados e com uma expectativa ruim, sendo que, entre esses, 69,2% atribuem seu desânimo por estarem em uma situação financeira difícil e 46,6% por estarem desempregados e sem expectativa de recolocação no mercado.

Outros 18,6% afirmam que o cenário econômico em 2017 será igual a 2016 e, entre os 16,8% que acham que será pior, as principais consequências no cotidiano serão a redução nas compras (46,9%) e a dificuldade para manter as contas em dia (35,3%).

Como medida para superar os problemas decorrentes da crise econômica, a maior parte dos entrevistados menciona justamente organizar as contas da casa (26%), evitar usar o cartão de crédito (24,8%) e fazer pesquisa de preços (23,1%). Apesar das dificuldades, 41% não querem abrir mão de fazer uma reversa financeira, 29,4% de cancelar planos de internet e celular e 26,1% de gastar com produtos não tão necessários.

Para a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, o levantamento mostra que ao menos uma parte dos consumidores entende a gravidade da situação atual e pretende agir ativamente a fim de evitar o desequilíbrio financeiro.

— Medidas como a organização das contas e o uso consciente do cartão de crédito podem fazer diferença no orçamento ao longo de todo o ano.

O levantamento mostra ainda que 27,7% pretendem fazer aplicações periódicas, 16,7% financiar a casa própria e 15,4% financiar um automóvel. Entre os que pretendem fazer empréstimo em 2017 (7,7%), 41% utilizarão o dinheiro para pagar suas dívidas, 12,7% investir em um negócio próprio e 10,1% comprar um carro ou moto.

O risco de não conseguir pagar as dívidas aparece como o maior temor para 2017, citado por 42% dos entrevistados. Foram mencionados ainda ter problemas de saúde (41,9%) e que o País não saia da crise atual (40%). Segundo Kawauti, a economia, de forma direta ou indireta, está no centro das preocupações dos brasileiros.

— Muitos esperam que em 2017 possam resolver suas questões financeiras e superar a recessão, voltando a consumir e a concretizar seus objetivos, como o de constituir reserva financeira, por exemplo.

Do R7

10

Veja Também

© Divulgação

‘Quando um preso decide matar outro, é difícil evitar’, diz secretário do RN

O secretário de Justiça e Cidadania do Rio Grande do Norte, Walber Virgulino, afirmou na ...